Meu perfil
BRASIL, Sudeste, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, Italian, Esportes, Cinema e vídeo, Quadrinhos



Arquivos

Outros links
 A4L no Twitter
 Conexão Fut
 Doentes por Futebol
 El País Brasil
 ESPN Brasil
 FC Inter
 Folha
 Football Squads
 Globo Esporte
 La Gazzetta dello Sport
 Livescore
 Painel FC - Folha
 Terra Internacional
 Tostão
 UEFA
 Who Scored
 Blog - André Kfouri
 Blog - Bastidores FC
 Blog - Olho Tático
 Blog - O mundo é uma bola
 Blog - PVC
 Blog - Seleção
 Blog - Maurício Stycer
 Melhores do Mundo
 John Byrne
 Tumblr - Marvel
 Blog - Roberto Sadovski
 Omelete
 Revista Época - Ivan Martins
 UOL
 Wikipedia
 Bol
 Hotmail




Além das Quatro Linhas! - Um jeito diferente de ver e debater futebol.
 


LIGA DOS SONHOS – Oitavas-de-final.

O segundo confronto da Liga dos Sonhos é marcado por uma constelação de craques em campo. Pelo lado britânico, o goleiro Schmeichel; o zagueiro Stam e os ainda jovens David Beckham, Scholes e Giggs. Do lado espanhol, nada menos que sete títulos de melhor jogador do mundo distribuídos para três monstros da bola: Figo, Zidane e Ronaldo.

Local: Estádio Olímpico de Roma (campo neutro)

Partida válida pelas oitavas-de-final da Liga dos Sonhos 2009.

Em campo, as seguintes equipes:

O Manchester United da Tríplice Coroa (1998-1999)

Time base: Peter Schmeichel; Gary Neville, Jaap Stam, Ronny Johnsen e Denis Irwin; David Beckham, Roy Keane, Paul Scholes e Ryan Giggs; Dwight Yorke e Andy Cole.

Reservas: Phil Neville, Nicky Butt, Jordi Cruyff, Jesper Blomqvist, Ole Gunnar Solskjaer e Teddy Sheringham.

Técnico: Alex Ferguson.

Histórico e Títulos: Para quem deseja saber o significado da expressão Tríplice Coroa pergunte a Sir Alex Ferguson. Naquela temporada, os Red Devils foram praticamente imbatíveis. Conquistaram a FA Cup, a Premier League e, de quebra, a UEFA Champions League de maneira invicta. Ao final do ano, o Palmeiras de Scolari sentiu a força daquele time.

Yorke e Cole: sintonia fina no ataque do Manchester United...

O Real Madrid Galáctico (2002-2003)

Time Base: Iker Casillas; Michel Salgado, Fernando Hierro, Iván Helguera e Roberto Carlos; Claude Makelele, Esteban Cambiasso, Luís Figo e Zinedine Zidane; Raúl e Ronaldo.

Reservas: César Sanchez, Flávio Conceição, Steve McManaman, Guti e Fernando Morientes.

Técnico: Vicente del Bosque.

Histórico e Títulos: Os Galácticos que deram certo. O time que conquistou a Champions League em 2002 ganhou o reforço de Ronaldo. Com o Fenômeno, conquistaram o troféu intercontinental de 2002 e a liga espanhola ao final da temporada.

Além de grandes astros como Figo, Raúl, Zidane e o próprio Ronaldo, os Merengues contavam com um elenco forte, capaz de suprir eventuais ausências. No banco, Vicente del Bosque garantia escalações ofensivas, mas consistentes.

Zidane e o seu chute mais perfeito: o Real Madrid conquista a Europa.

Como participar:

1 - Quem recebeu um e-mail avisando deste post só precisa se identificar informando seu nome. Quem não recebeu, mas quer participar, favor deixar nome e e-mail.

2 - Escolha o vencedor da partida e informe na caixa de comentários.

3 - Cada participante terá direito a um voto.

4 - O vencedor do confronto será o time que obtiver mais votos após o fechamento da votação.

5 - A votação se encerrará na próxima quinta-feira.

6 - O placar final será proporcional à quantidade de votos obtidos pelas equipes.

7 - Em caso de empate, caberá ao presidente da Liga (este blogueiro) decidir o vencedor numa disputa virtual de tiros livres da marca do pênalti.

8 - Comentários sobre o embate também serão bem-vindos.

Opinem à vontade e que vença o melhor!



Escrito por Michel Costa às 13h23
[] [envie esta mensagem
] []





LIGA DOS SONHOS – Oitavas-de-final.

Placar Final:

Foi uma goleada. Nem mesmo a força do craque Lothar Matthaus e das estrelas alemãs da Inter pôde resistir ao futebol revolucionário do Milan comandado por Arrigo Sacchi que contava, em campo, com estrelas do calibre de Baresi e Maldini, além do trio holândes Rijkaard-Gullit-van Basten. Após a contagem final, constatou-se que os Rossoneri venceram por 10 votos a 2.

Como havia sido informado no post anterior da liga, o placar final é proporcional à quantidade de votos obtidos pelas equipes. Deste modo, dividindo os totais de cada equipe por 2, temos o seguinte resultado na Chave 1:

Milan de Sacchi 5 x 1 Internazionale dos Alemães

Chave 1

Arsenal “Invincible Eleven” vs. O Bayern Munique 2000/1

O Corinthians 99/2000 vs. O Palmeiras de Luxemburgo

A Lazio campeã italiana vs. O Borussia Dortmund 96/97

Chave 2

O Barcelona de Ronaldinho vs. O São Paulo de Telê Santana

A Juventus do Tridente vs. O Ajax de van Gaal

O Porto de José Mourinho vs. O Boca Juniors de Bianchi

A seguir, seguindo a ordem disposta na tabela da liga, o próximo confronto – pertencente à Chave 2 - será:

O Manchester United da Tríplice Coroa vs. O Real Madrid Galáctico

Escolha seu preferido. O post desse verdadeiro duelo de gigantes estará disponível neste sábado. Até mais!

 

Após o sucesso do trio holândes, o Milan investiu em outros grandes nomes.



Escrito por Michel Costa às 06h04
[] [envie esta mensagem
] []





Question

Quem é o jogador em destaque abaixo?


Dicas só serão inseridas neste espaço de acordo com a necessidade dos participantes.

Boa sorte a todos!

Anterior:

A seguir, temos quatro afirmativas. Cada uma revela determinada informação de um jogador que, reunidas, formam uma resposta única.

Quem é o ex-jogador citado nas afirmativas abaixo?

I – Volante de rara habilidade, se destacava pelos passes milimétricos.

II – Líder nato, foi durante muitos anos o capitão da equipe que o revelou para o futebol.

III – Além do seu clube formador, defendeu times na Itália, Ásia e América do Norte.

IV – Após um início tibubeante como treinador de um grande clube, vem apresentando excelente trabalho.

Resposta: Ele é Josep Guardiola i Sala, ex-capitão do Barcelona, clube que o revelou para o futebol, onde jogou de 1990 a 2001 e pelo qual conquistou seis ligas espanholas e duas Copas do Rei. Além do Barça, Pep, como era chamado, defendeu ainda Brescia, Roma, Al Ahli (Qatar) e Dorados de Sinaloa (México). Após encerrar a carreira de atleta, iniciou a de treinador. Em sua primeira experiência na função, treinou o Barcelona B. No entanto, após a saída do holandês Frank Rijkaard do comando do time principal, assumiu o posto de técnico da equipe de cima.

Classificação: Novamente, a indestrutível Cyntia chegou primeiro. Agora, são novamente 3 pontos de diferença para Rodolfo Moura e Yuri, ocupantes da segunda posição e que também cravaram corretamente o nome de Guardiola.

Na oportunidade, gostaria de agradecer a todos os outros participantes.

Lembrando que o primeiro acertador leva 2 pontos e os outros acertadores recebem 1 ponto, a nova classificação é a seguinte:

1º) Cyntia – 15 pontos.

2º) Rodolfo Moura e Yuri – 12 pontos.

3º) JP – 9 pontos.

4º) Darley e Fernando – 7 pontos.

5º) Prisma – 5 pontos.

6º) Ângelo – 3 pontos.

7º) Bruno, Leonardo e Uendel – 2 pontos.

8º) André, Hellerson, Lucimar e Repolho – 1 ponto.


Como jogador, Guardiola era a classe em pessoa.



Escrito por Michel Costa às 22h13
[] [envie esta mensagem
] []





A descoberta da pólvora?

As declarações dadas pelo ex-jogador Leonardo ao jornal O Globo e sua participação no programa Redação Sportv, fizeram muita gente parar para pensar. Entre outras coisas, o atual dirigente do Milan defendeu a venda dos clubes brasileiros para investidores interessados no futebol enquanto produto.

Para ele, esse modelo gestão adotado em diversos países como Inglaterra e Itália, seria uma possível saída para a eterna crise em que vive grande parte de nossas agremiações.

Como justificativa para tal proposta, citou a falência do modelo atual, pouco comprometido com a realidade financeira dos clubes e desprovido de credibilidade com possíveis investidores e até com os torcedores.

Todavia, como o próprio Leonardo explicou, futebol não é feito para dar lucro. Visto que este só seria possível quando encarado como um projeto curto de formação/compra e venda de jogadores. E como já foi observado aqui neste blog, mesmo os times que mais faturam no mundo trabalham com prejuízo. Então, o que faria um investidor gastar milhões com algo que não dá lucro? Amor ao clube? Difícil acreditar.

Abaixo, separei alguns momentos do dirigente milanista no Redação Sportv. No primeiro vídeo, comenta sobre investimentos em futebol e como são baixas as possibilidades de lucro:

A seguir, comenta sobre a necessidade de um mecenas e de políticas públicas voltadas para o futebol. De quebra, cita a diferença da carga tributária existente entre Espanha e Itália, dizendo que Henry deveria ter ido para o Milan:

 

Para mim, este modelo sugerido pelo tetracampeão também não é muito viável. E não haveria mecanismos de proteção para que um possível investidor não adquiria uma grande marca apenas para dar visibilidade aos atletas que ele pretende futuramente negociar. Ou seja, haveria a visão empresarial se sobrepondo à competitividade. Algo que a torcida não suportaria e muito menos apoiaria.

Não é possível acreditar num mecenas que consiga montar um time competitivo, promover a manutenção dos ídolos, negociar jogadores com inteligência, pagar as contas, investir em instalações e ainda obter um retorno de investimento. Infelizmente, isso só existe num mundo ideal que não é o nosso.

O que é possível, correto e que alguns clubes brasileiros já estão fazendo é administrar-se como empresa. É o caso do Internacional que, mesmo não tendo grande torcida fora do Rio Grande do Sul, tem hoje cerca de 82 mil associados. Ou do São Paulo, considerado por muitos, modelo de gestão.

A verdade é que a esmagadora maioria dos clubes brasileiros ainda é administrada de forma corrupta e/ou amadora. Não tem credibilidade com os investidores, não conseguem gerir suas contas, não conseguem negociar com seus patrocinadores e com a TV, não montam estruturas compatíveis com o esporte de alto nível e ainda negociam mal seus atletas.

Aqueles que conseguem se desprender dessa estrutura viciada caminham para o êxito. Aqueles que não conseguem, vivem de ilusão ou à espera de um mecenas disposto a rasgar seu próprio dinheiro ou a mercê de aproveitadores.



Escrito por Michel Costa às 21h39
[] [envie esta mensagem
] []





Os Deuses (da bola) devem estar loucos.

Incredulidade. Depois de assistir, há uma semana atrás, um incrível 4 a 4 entre Chelsea e Liverpool, é esse o meu sentimento ao ver o placar se repetir hoje.

É certo que, desta vez, o mandante era o Liverpool e o adversário, o Arsenal. Todavia, o ritmo frenético, a vibração das equipes e a alternância no placar também se repetiram.

Pelo lado do Arsenal o ponto conquistado é de suma importância para consolidação da quarta colocação no campeonato, atual objetivo dos londrinos. Além disso, os Gunners tiveram a certeza de que a contratação mais cara de sua história, Arshavin, vem fazendo jus a cada centavo nele investido. Afinal, os quatro gols dos visitantes foram de autoria do russo.

Para o Liverpool, o empate final pode ter representado o fim do sonho de título na Premier League, troféu que não conquistado desde 1989/90.

Agora, para os amantes do bom futebol, tratou-se um jogo histórico. Daqueles para guardar para sempre na memória. Sorte de quem viu.

Sky Sports


Arshavin, o abominável homem das neves.



Escrito por Michel Costa às 18h56
[] [envie esta mensagem
] []





32 rodadas.

Este foi o período necessário para a Internazionale realizar uma grande trama ofensiva nesta temporada. Até então, o time dependia muito mais de jogadas individuais do que coletivas.

O gol marcado pelo atacante Mario Balotelli, aos 19 minutos do segundo tempo, nasceu de um contragolpe primoroso dos Nerazzurri. Bola roubada, tocada de pé para pé até a firme conclusão do melhor jogador em campo para as redes.

É interessante notar que as três melhores partidas dos interistas nesta temporada aconteceram contra seus dois maiores rivais. A vitória por 1 a 0 sobre a Juventus no primeiro turno foi primordial para consolidação do time na liderança. O derby do returno contra o Milan serviu para eliminar um importante adversário da disputa. Agora, este empate, representa o final definitivo do sonho Bianconero de chegar ao 28º scudetto de sua história.

Neste momento, restam apenas 6 rodadas para o fim da stagione. A Inter tem pela frente os seguintes compromissos: Napoli (fora), Lazio (casa), Chievo (fora), Siena (casa), Cagliari (fora) e Atalanta (casa). Mantida a vantagem de 10 pontos, é possível projetar o título sendo garantido contra o Chievo ou contra o Siena, diante da torcida.

Agora é tudo questão de tempo.

Placar moral

Antes que alguém se assuste com a expressão, me adianto em dizer que isso não existe. No entanto, é impossível comentar sobre o que foi a partida entre Juventus e Internazionale sem mencionar que o placar final só se configurou num empate graças à participação do árbitro Stefano Farina.

Pouco antes do escanteio que originou o gol de empate de Grygera, Ibrahimovic foi derrubado por Legrottaglie dentro da área. Uma penalidade clara ignorada pelo juiz e que poderia dar aos visitantes o triunfo por 2 a 0.

Por tratar-se de um ser humano que erra como qualquer outro, Farina errou ao não assinalar o pênalti, algo que acabou interferindo no resultado final.

O acontecido coloca em xeque a teoria de que a equipe de Via Durini estaria sendo favorecida pela arbitragem. Afinal, que momento seria melhor para colocar fim na disputa do que o clássico diante do adversário direto? E melhor, assinalando uma infração que realmente ocorreu?

Chegou a hora da Juventus (diretoria, comissão técnica, jogadores e até mesmo torcedores) colocar a mão na consciência e assumir que a queda se deu por seus próprios erros. Sobretudo, nas partidas disputadas em casa.


Balotelli marca e se consolida como carrasco da Juve.



Escrito por Michel Costa às 15h36
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]